7º ENCONTRO DE FILARMÔNICAS EM ESTÂNCIA

POMBO SEM ASA - WASHINGTON NASCIMENTO - 26/02/2012

Vira-vira-vira, virou!

Num grande jogo como merece ser todo clássico, o Confiança virou prá cima do Sergipe e venceu a partida por 2 a 1.
O jogo aconteceu sob uma grande expectativa. Estréias de ambos os lados.

O Sergipe que contratou 12 novos jogadores, informava que 5 estavam regularizados e poderiam ir a campo.
O Confiança também tinha suas estréias e principalmente a estréia das catracas eletrônicas, para coibir a entrada dos biguzeiros. Parece que deu certo. Mas noutro post a gente retoma o assunto.

Como sempre, o Sergipe começa bem a partida. O Confiança vai se arrumando e consegue equilibrar o jogo.
O Sergipe sai na frente do placar. O Confiança empata-vira e desempata-vira a partida - virou. Dois gols de Tiririca, artilheiro do campeonato.
A rádio Cultura convida e recebe na sua cabine os técnicos adversários.

Paulo Moroni explica a vitória e a dificuldade para alcançá-la.

Celso Teixeira não explica a derrota. Demonstra sua chateação com sua chegada aos 47 do segundo tempo.
Confiança pula a fogueira que já estava a fogo baixo nas suas hostes e permanece na segunda colocação no seu grupo.
Sergipe melhorou muito, mas não saiu do incomodo jejum de vitórias. Seu técnico já trabalha com a possibilidade de dar uma sacudidela no grupo nos 15 dias em que estará fora do quadrangular.

Clássico é assim. Um chora e outro ri. Ou ambos choram. E assim foi esse Confiança x Sergipe.

No Rio, o Fluminense quebrou a invencibilidade do Vasco e ficou com o título da Taça Guanabara 2012.
Amigos felizes e Amigos tristes. Cumprimento a todos os campeões e “vices”.

Retornar ao Índice Retornar ao Índice
[ Retornar à Colunistas | Retornar ao Índice | Versão para impressão]

ENQUETE

Qual a sua avaliação sobre o primeiro ano da gestão do prefeito Gilson Andrade de Estância
Boa 0%
Nenhuma das Alternativas 0%
Ótima 0%
Péssima 50 % 50%
Regular 50 % 50%
Ruim 0%

USUÁRIOS ONLINE

31 visitantes online (1 na seção: Seções)

Usuários: 0
Visitantes: 31

mais...