7º ENCONTRO DE FILARMÔNICAS EM ESTÂNCIA

Opinião : Opinião - Matar ou morrer
enviou em 07/11/2017 10:30:00 ( 187 leituras )
Opinião

É um filme americano de 1952, do gênero faroeste, dirigido pelo austríaco Fred Zinnemann, tendo Gary Cooper como protagonista. O filme conta a história de um xerife do Velho Oeste que é forçado a duelar sozinho com uma gangue de assassinos. O "mala" do episódio é preso, mas depois de cinco anos sai da prisão com uma missão: se vingar do delegado.Hoje a situação do cidadão brasileiro está pior do que aquela pela qual passa o xerife do filme. Primeiro, que um marginal, assassino ou coisa que o valha, não fica tanto tempo atrás das grades.

Segundo, que naquela época não existia o tal dos Direitos Humanos nem um Código Penal de 1940, que hoje serve apenas para os advogados usarem as brechas legais para devolver os criminosos ao convívio social.

A violência aumentou tanto nos últimos anos, que a pergunta mais recorrente - em especial dos agentes de segurança pública -, de quem sai pra trabalhar e não sabe se volta vivo para casa é exatamente essa: matar ou morrer?

Com a lei do desarmamento para o cidadão comum, só resta rezar para não ser assaltado nas ruas e não se sentir refém dentro de sua própria casa. E se tiver uma arma escondida, reagir e ferir o marginal será enquadrado por porte ilegal dela. É assim que a coisa funciona.

Mas por que se mata tanto no Brasil? As estatísticas falam por si. Segundo o Instituto de Pesquisa Aplicada – Ipea -, entre 2004 e 2014 o número de homicídios cresceu 21,9% e alcançamos a lamentável marca de 29,1/100 mil habitantes.

Nesse período foram registrados mais de 50 mil homicídios por ano no país. Mas cada Estado tem a sua própria realidade. Em pronunciamento no plenário, o senador Antônio Carlos Valadares, PSB-SE, lamentou os dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgados na segunda-feira, 30 de outubro.

"Sergipe e Aracaju lideram essa trágica estatística. Em 2016, Sergipe registrou uma taxa de 64 mortes violentas por 100 mil habitantes, enquanto Aracaju, antes a capital da qualidade de vida, apresentou uma taxa de 66,7 de assassinatos por cem mil habitantes", disse ele.

Claro que o número é assustador, mas a realidade pode ser ainda pior se considerarmos que os homicídios são uma pequena parcela dos casos de violência. Além das agressões contra a mulher, do preconceito racial, o Brasil é o país que mais mata LGBTs no mundo: um a cada 26 horas.

O leque é grande e o resultado das pesquisas coloca o país na primeira posição no ranking no número absoluto de homicídios do mundo. Solução tem, mas falta vontade política.

Como já disse aqui neste Portal, o problema da segurança pública é muito maior e a solução tem de partir de cima para baixo: do Governo Federal, com maior controle das fronteiras e um planejamento estratégico em efeito dominó até chegar aos Estados e municípios.

Mas o Congresso Nacional tem que fazer a sua mea-culpa. É preciso que haja uma reforma urgente do Código Penal - que sofreu poucas modificações ao longo dos anos - e que hoje beneficia mais os criminosos do que os cidadãos e as vítimas da violência.

Em “Matar ou morrer” o xerife vence os fora-da-lei. Mas a vida do cidadão de bem não segue um roteiro de filme, em que o autor escolhe o final da história. A nossa realidade é bem diferente: virou um filme de terror.

[*] É administrador de Empresas, policial rodoviário federal aposentado e escritor.
[*] Adalberto Vasconcelos Andrade

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia -


Outros Artigos
20/06/2018 11:00:00 - EDEITORIAL: Que assim seja
20/06/2018 10:50:00 - Um dia após deixar treino com dores, Neymar volta a trabalhar com bola
20/06/2018 10:50:00 - Eduardo Amorim pede mais vigilância aos R$ 51 milhões dados à Saúde sergipana pelo Governo Federal
20/06/2018 10:40:00 - Canadá legaliza uso recreativo da maconha: saiba em que lugares o uso da droga é permitido
20/06/2018 10:40:00 - 'Distúrbio de games': OMS classifica vício em videogames como doença
20/06/2018 10:30:00 - Bandidos armados assaltam servidores da Deso em serviço
20/06/2018 10:30:00 - Empresas retomam transporte de carga em meio a frete indefinido
20/06/2018 10:10:00 - PRF detém condutor com motocicleta adulterada
20/06/2018 09:50:00 - Pesquisador explica os significados dos símbolos juninos
20/06/2018 09:40:00 - Sem alteração do ICMS, sindicato prevê aumento de combustíveis em SE



Marcar este artigo como favorito neste site

                   

 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

ENQUETE

Qual a sua avaliação sobre o primeiro ano da gestão do prefeito Gilson Andrade de Estância
Boa 0%
Nenhuma das Alternativas 0%
Ótima 0%
Péssima 50 % 50%
Regular 50 % 50%
Ruim 0%

USUÁRIOS ONLINE

30 visitantes online (23 na seção: Notícias)

Usuários: 0
Visitantes: 30

mais...