7º ENCONTRO DE FILARMÔNICAS EM ESTÂNCIA

Manchete : 'REFORMA PODE FICAR PARA O PRÓXIMO PRESIDENTE', DIZ MAIA
enviou em 01/02/2018 08:50:00 ( 35 leituras )
Manchete

Deputados aliados do governo querem manter tema na pauta mesmo que haja risco de derrota na votação

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira (31), que se a reforma da Previdência não for votada até fevereiro não irá mais colocar o assunto em pauta.Sem a reforma a gente não sabe o que vai acontecer com o Brasil, mas não vou ficar nessa agenda a vida inteira. Não dá para carregar isso além do mês de fevereiro. Votou em fevereiro, votou. Não votou, será a agenda da eleição, do próximo presidente. Vamos ver quem vai enfrentar o tema de forma transparente, de forma aberta.


A declaração vai contra o que defendem deputados aliados do governo, que pretendem levar a reforma a voto mesmo com o risco de derrota. O discurso é de que o presidente Michel Temer não sairá perdedor caso isso ocorra, pelo contrário.

O vice-líder do governo na Câmara, Beto Mansur (PRB-SP), diz que "O governo é vitorioso por apresentar a proposta".

Maia reconhece que o governo não tem os 308 votos necessários para aprovar as mudanças nas regras do INSS, mas diz acreditar que é possível construir maioria para aprovar ao menos alguns pontos da proposta, como idade mínima e a igualdade para servidores públicos.

— Alguns defendem que é esse texto ou nada. Acho que se tiver voto com esse, ótimo. Se tiver voto para outro, bom. Ninguém vai achar que mesmo o próximo governo se eleito com força vai fazer uma reforma previdenciária profunda. Não vai fazer. Vamos conversar com os deputados. Não é o que a gente gostaria, é o que a gente pode. Não adianta sonhar com coisas que não existem. Não há apoio da sociedade para uma reforma ampla que não existe.

O governo tem buscado dar sinais de retomada nas negociações. O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, inclusive deu aval para mudanças nas regras de concessão de pensão por morte para facilitar as articulações, segundo o deputado Rogério Rosso (PSD-DF). Outra alteração é a redução do adicional sobre o tempo que falta para aposentadoria, o chamado "pedágio, no caso de servidores que ingressaram no funcionalismo público até 2003.


por AGÊNCIA ESTADO

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia -


Outros Artigos
23/02/2018 16:50:00 - PELOS PRIMÓRDIOS DO CARNAVAL ESTANCIANO
23/02/2018 14:30:00 - Rússia pede garantias para apoiar trégua humanitária em Ghouta Oriental
23/02/2018 14:30:00 - Forças Armadas fazem operação conjunta com polícias na zona oeste do Rio
23/02/2018 14:20:00 - Detento é assassinado dentro do Copencam
23/02/2018 14:20:00 - Jau vai comandar a Feijoada Seo Inácio em Aracaju
23/02/2018 14:20:00 - Infestação do Aedes tem menor índice dos últimos 11 anos
23/02/2018 14:20:00 - Aracaju implantará o Sistema Municipal de Cultura
23/02/2018 10:30:00 - 'PODERÃO PRENDER MINHA CARNE CARCOMIDA, MAS NÃO MINHAS IDEIAS', DIZ LULA
23/02/2018 10:20:00 - TRABALHADORES PODEM TRANSFERIR SALÁRIO PARA CONTAS DIGITAIS
23/02/2018 10:20:00 - USO DE TORNOZELEIRA EM PRESOS CRESCE EM SERGIPE



Marcar este artigo como favorito neste site

                   

 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

ENQUETE

Qual a sua avaliação sobre o primeiro ano da gestão do prefeito Gilson Andrade de Estância
Boa 0%
Nenhuma das Alternativas 0%
Ótima 0%
Péssima 50 % 50%
Regular 50 % 50%
Ruim 0%

USUÁRIOS ONLINE

24 visitantes online (21 na seção: Notícias)

Usuários: 0
Visitantes: 24

mais...