7º ENCONTRO DE FILARMÔNICAS EM ESTÂNCIA

Cultura : Conheça a história e a evolução do trio elétrico, o palco do axé no Carnaval baiano
enviou em 08/02/2018 14:20:00 ( 30 leituras )
Cultura

Criado por Dodô e Osmar, carro sonorizado surgiu em 1951 com um Ford 1929

Enquanto o axé completa 33 anos, em 2018 o trio elétrico comemora 67 anos de existência. Sem essa carreta sonorizada, o Carnaval baiano definitivamente não seria o mesmo.Mas quem frequenta os circuitos da festa baiana e se impressiona com a estrutura dos palcos móveis, sequer pode imaginar que no início os trios não passavam de um carro com um amplificador ligado à bateria. E não era trio.


Era dupla. E que dupla: os músicos Dodô e Osmar (que dão nome a circuitos de desfiles de Salvador) foram os criadores desse conceito.

Tudo começou em 1951, quando o clube recifense Vassourinhas convidou os dois músicos para tocar no Carnaval de Salvador em um Ford 1929 que foi restaurado para a apresentação. O sucesso entre o público foi enorme.

No ano seguinte, eles chamaram o músico Temístocles Aragão para participar do Carnaval. Foi com essa formação que começaram a ser chamados de Trio Elétrico. O nome pegou e outras bandas que tocavam em carro aberto passaram a receber o mesmo nome. Armandinho, filho de Osmar, lembra que, com o passar o do tempo, os veículos que levavam os músicos foram aumentando de tamanho para acompanhar o crescimento das bandas que participavam da festa.

Nos anos 60, os amplificadores usados nos trios tinham uma potência de 100 watts. Nos 70, atingiam 20 a 30 mil watts. Hoje, alcançam entre 100 a 500 mil watts, superando concertos de rock e de orquestras.

— No início, era um carro. Depois, começaram a desfilar em caminhonetes e caminhões pequenos, que eram melhores para acomodar bandas completas. Eles não imaginavam que um dia o trio seria uma carreta, mas viveram o suficiente para presenciar essa evolução.

Em 1976, o trio elétrico começa a se profissionalizar e ter impacto cultural e econômico importante no Carnaval baiano. O grupo Tapajós se transforma numa empresa e, em 1978, contrata Moraes Moreira para tocar, inaugurando a fase vocal da festa. Antes, as bandas eram estritamente instrumentais.

— A partir de então, os trios começaram a receber músicos com influência de rock e afoxé. Nos anos 80, o axé surgiu e esses novos artistas colocaram novas características na música.

Outros elementos do Carnaval baiano estão ligados aos trios. Os abadás, por exemplo, foram criados para os foliões curtirem a festa bem próximos da banda. A pipoca também. Pois é lá, do outro lado da corda que o folião sem abadá desfila.

Junto com o surgimento do trio elétrico, Dodo e Osmar criaram também a guitarra baiana, espécie de bandolim eletrificado de quatro ou cinco cordas feito especialmente para tocar frevo, que era o estilo que imperava na década de 50.

Hoje, esse instrumento não está mais tão presente nos trios. Armandinho é um dos poucos músicos baianos que ainda mantém viva a sonoridade do instrumento criado pelo pai.

— Vejo com felicidade essa preservação e evolução dos trios, mas gostaria que os blocos afros tivessem mais espaço, assim como a guitarra baiana. Temos feito trabalhos para resgatar essa tradições tão importantes para a música baiana.


Helder Maldonado, Do R7

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia -


Outros Artigos
23/02/2018 16:50:00 - PELOS PRIMÓRDIOS DO CARNAVAL ESTANCIANO
23/02/2018 14:30:00 - Rússia pede garantias para apoiar trégua humanitária em Ghouta Oriental
23/02/2018 14:30:00 - Forças Armadas fazem operação conjunta com polícias na zona oeste do Rio
23/02/2018 14:20:00 - Detento é assassinado dentro do Copencam
23/02/2018 14:20:00 - Jau vai comandar a Feijoada Seo Inácio em Aracaju
23/02/2018 14:20:00 - Infestação do Aedes tem menor índice dos últimos 11 anos
23/02/2018 14:20:00 - Aracaju implantará o Sistema Municipal de Cultura
23/02/2018 10:30:00 - 'PODERÃO PRENDER MINHA CARNE CARCOMIDA, MAS NÃO MINHAS IDEIAS', DIZ LULA
23/02/2018 10:20:00 - TRABALHADORES PODEM TRANSFERIR SALÁRIO PARA CONTAS DIGITAIS
23/02/2018 10:20:00 - USO DE TORNOZELEIRA EM PRESOS CRESCE EM SERGIPE



Marcar este artigo como favorito neste site

                   

 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

ENQUETE

Qual a sua avaliação sobre o primeiro ano da gestão do prefeito Gilson Andrade de Estância
Boa 0%
Nenhuma das Alternativas 0%
Ótima 0%
Péssima 50 % 50%
Regular 50 % 50%
Ruim 0%

USUÁRIOS ONLINE

21 visitantes online (20 na seção: Notícias)

Usuários: 0
Visitantes: 21

mais...