7º ENCONTRO DE FILARMÔNICAS EM ESTÂNCIA

Saúde : PRECONCEITO E DESINFORMAÇÃO DIFICULTAM COMBATE AO ALCOOLISMO
enviou em 19/02/2018 10:00:00 ( 76 leituras )
Saúde

A maioria das pessoas não sabe que o alcoolismo é uma doença. O alerta é feito pelo membro do Alcoólicos Anônimos (A.A.), Tadeu T.B., sóbrio há três anos e que faz parte do comitê de divulgação do grupo. “Existe muito preconceito e ele é originado da desinformação, acham que a pessoa que tem problema com a bebida alcoólica é por falta de caráter, de vergonha na cara, e outras expressões pejorativas que acabam utilizando”, explica.

Hoje (18) é lembrado como o Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo, data instituída para conscientizar a população sobre a doença e os prejuízos causados pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Segundo Tadeu, há diversas formas de se informar e buscar ajuda, e uma delas é o A.A. “Há linhas diferentes de buscar solução para o problema. As políticas públicas buscam a redução de danos, enquanto o A.A., por exemplo, busca a abstinência total”, compara.

Segundo dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), feita pelo Ministério da Saúde, em 2016, a frequência do consumo abusivo de bebidas alcoólicas foi de 19,1%, sendo cerca de duas vezes maior em homens (27,3%) do que em mulheres (12,1%). Considera-se uso abusivo quem ingeriu de quatro a mais doses para mulheres, ou cinco a mais doses para homens, em uma mesma ocasião dentro dos últimos 30 dias antes da pesquisa.

Tadeu explica que a pessoa que sofre com o alcoolismo ou sua família precisa procurar ajuda, pois há uma dificuldade muito grande na aceitação da doença. Ele contou que o pai também é alcoólatra e conseguiu deixar o vício com tratamento psiquiátrico, utilizando remédios. “Tentei essa forma e comigo não funcionou”, diz.

“É cultural, todas as ocasiões sociais são regadas a muita bebida. Então, a dificuldade é que, ao tirar esse momento, a pessoa não sabe o que fazer na vida, não tem perspectiva”, explicou. “Vive-se em negação por muito tempo, dar o braço a torcer é muito difícil”, diz. Mesmo depois que o alcoólatra consegue aceitar a ajuda, segundo Tadeu, o alcoolismo é um problema crônico que exige atenção para o resto da vida.

Fator agravente

O aumento no percentual de brasileiros que combinam álcool e direção também foi demonstrado pela pesquisa Vigitel. Em 2016, 7,3% da população adulta das capitais brasileiras declararam que bebem e dirigem. No ano anterior, o índice foi de apenas 5,5%. Um aumento de 32%, em apenas um ano, segundo o Ministério da Saúde.

O álcool pode ocasionar ou ser um fator agravante para várias doenças, tanto fisiológicas quanto psicológicas e comportamentais. “Difícil achar um alcoólico que não pensou em se suicidar”, conta Tadeu.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o uso nocivo do álcool é um fator causal para mais de 200 doenças e condições de lesão. No mundo, 5,1% da carga global de doenças e lesões é atribuída ao álcool.

O importante, segundo Tadeu, é procurar ajuda, seja com o médico, o psicólogo ou com grupos como o A.A. A irmandade possui cerca de 5 mil grupos espalhados pelo país e não tem vínculos com nenhuma religião ou partido político. Informações e orientações sobre o A.A. estão disponíveis no site da organização.


Agência Brasil

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia -


Outros Artigos
17/06/2018 17:00:00 - Brasil larga na frente, mas empata com a Suíça em estreia na Copa
16/06/2018 12:50:00 - Estância resgata festival regional de Quadrilhas Juninas
16/06/2018 12:50:00 - RENATA SANTOS FONSECA É A RAINHA MIRIM 2018 DE SANTA LUZIA DO ITANHI
16/06/2018 12:30:00 - Barracas de fogos explodem na praça de eventos de Monte Alegre
16/06/2018 12:30:00 - Governo acionará justiça para liberação do Finisa
15/06/2018 10:00:00 - Dia Mundial do Doador de Sangue: saiba quem pode doar, o que é exigido e se a doação vale folga no trabalho
15/06/2018 10:00:00 - Espanha tenta superar crise em clássico contra Portugal de CR7
15/06/2018 09:50:00 - Morador de rua morre afogado em rio de Estância
15/06/2018 09:50:00 - Comidas típicas ganham espaço especial em padarias
15/06/2018 09:50:00 - Acusado de fazer taxista refém morre em confronto



Marcar este artigo como favorito neste site

                   

 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

ENQUETE

Qual a sua avaliação sobre o primeiro ano da gestão do prefeito Gilson Andrade de Estância
Boa 0%
Nenhuma das Alternativas 0%
Ótima 0%
Péssima 50 % 50%
Regular 50 % 50%
Ruim 0%

USUÁRIOS ONLINE

23 visitantes online (19 na seção: Notícias)

Usuários: 1
Visitantes: 22

magno, mais...