7º ENCONTRO DE FILARMÔNICAS EM ESTÂNCIA

Manchete : DEPUTADOS APROVAM PROJETO COM PERDA DO PODER FAMILIAR EM CASO DE FEMINICÍDIO
enviou em 08/03/2018 09:50:00 ( 69 leituras )
Manchete

Em uma noite de votações conduzidas pela bancada feminina, o plenário aprovou o Projeto de Lei (PL) 7.874/17, que estabelece a perda do poder familiar (do pai ou da mãe) em caso de feminicídio, de lesões gravíssimas e abuso sexual contra filhos. O primeiro projeto aprovado aumentou a pena para estupro coletivo e tipificou o crime de importunação sexual.

O texto sobre o feminicídio estabelece que perderá o poder familiar aquele que praticar, contra o outro titular desse mesmo poder, crimes como homicídio, feminicídio ou lesão corporal grave ou seguida de morte, nos casos de crime doloso e que envolverem violência doméstica familiar ou menosprezo ou discriminação à condição de mulher. O PL também prevê a perda do poder familiar àquele que cometer estupro ou outro crime contra a dignidade sexual.

Para a relatora do texto, deputada professora Dorinha Rezende (DEM-TO), muitas vezes a lei tem se mostrado insuficiente para impedir a manutenção do poder familiar por aqueles que cometem “atos bastante lesivos, repugnantes ou mesmo atrocidades contra criança ou adolescente sobre os quais exercia tal poder”.

O PL prevê que a condenação criminal do pai ou da mãe não implicará a destituição do poder familiar, exceto na hipótese de condenação por crime doloso, cometido contra o outro titular do mesmo poder familiar, o próprio filho ou a filha.

Comitê de Defesa da Mulher

O plenário também aprovou a criação do Comitê de Defesa da Mulher contra Assédio Moral ou Sexual, no âmbito da Câmara dos Deputados.

De acordo com a resolução aprovada, o comitê terá a função de analisar e encaminhar às instâncias competentes denúncias de assédio moral ou sexual feitas por servidoras efetivas, comissionadas, terceirizadas, estagiárias, deputadas e outras mulheres visitantes da Casa. Para o encaminhamento, a denúncia deverá ter fundamento. A matéria foi promulgada em seguida.

Segundo a deputada Laura Carneiro (MDB-RJ), a resolução é uma forma de inibir o assédio sofrido no ambiente de trabalho.

“É uma proposta de institucionalização da política de prevenção e repressão de assédio moral ou sexual, práticas essas inaceitáveis por violarem direitos fundamentais das mulheres, tais como a dignidade da pessoa humana, a isonomia, a proteção à intimidade, a valorização social do trabalho, entre outros”, afirmou.


Agência Brasil

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia -


Outros Artigos
18/06/2018 11:40:00 - O nordeste além da paisagem
18/06/2018 11:30:00 - MEC divulga hoje o resultado do Sisu
18/06/2018 11:30:00 - Som & Louvor e DJ PV são atrações do Holy Festival Count
18/06/2018 11:30:00 - Fogos: Comerciantes apostam na Copa para aumentar vendas
18/06/2018 11:30:00 - Criança é atropelada por adolescente que conduzia uma moto em Tobias Barreto (SE)
18/06/2018 11:30:00 - Cotistas podem sacar saldo do PIS/Pasep a partir de hoje
18/06/2018 11:30:00 - Seleção brasileira vive seu segundo maior jejum de vitórias em Copas
18/06/2018 11:30:00 - Voo de Dublin a Ibiza desvia de rota por causa de passageiros bêbados
18/06/2018 11:20:00 - Feto é encontrado em tonel no bairro Industrial
18/06/2018 11:20:00 - Arraiá do Povo será aberto nesta segunda, 18



Marcar este artigo como favorito neste site

                   

 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

ENQUETE

Qual a sua avaliação sobre o primeiro ano da gestão do prefeito Gilson Andrade de Estância
Boa 0%
Nenhuma das Alternativas 0%
Ótima 0%
Péssima 50 % 50%
Regular 50 % 50%
Ruim 0%

USUÁRIOS ONLINE

33 visitantes online (27 na seção: Notícias)

Usuários: 0
Visitantes: 33

mais...