7º ENCONTRO DE FILARMÔNICAS EM ESTÂNCIA

Manchete : DEPUTADOS APROVAM PROJETO COM PERDA DO PODER FAMILIAR EM CASO DE FEMINICÍDIO
enviou em 08/03/2018 09:50:00 ( 197 leituras )
Manchete

Em uma noite de votações conduzidas pela bancada feminina, o plenário aprovou o Projeto de Lei (PL) 7.874/17, que estabelece a perda do poder familiar (do pai ou da mãe) em caso de feminicídio, de lesões gravíssimas e abuso sexual contra filhos. O primeiro projeto aprovado aumentou a pena para estupro coletivo e tipificou o crime de importunação sexual.

O texto sobre o feminicídio estabelece que perderá o poder familiar aquele que praticar, contra o outro titular desse mesmo poder, crimes como homicídio, feminicídio ou lesão corporal grave ou seguida de morte, nos casos de crime doloso e que envolverem violência doméstica familiar ou menosprezo ou discriminação à condição de mulher. O PL também prevê a perda do poder familiar àquele que cometer estupro ou outro crime contra a dignidade sexual.

Para a relatora do texto, deputada professora Dorinha Rezende (DEM-TO), muitas vezes a lei tem se mostrado insuficiente para impedir a manutenção do poder familiar por aqueles que cometem “atos bastante lesivos, repugnantes ou mesmo atrocidades contra criança ou adolescente sobre os quais exercia tal poder”.

O PL prevê que a condenação criminal do pai ou da mãe não implicará a destituição do poder familiar, exceto na hipótese de condenação por crime doloso, cometido contra o outro titular do mesmo poder familiar, o próprio filho ou a filha.

Comitê de Defesa da Mulher

O plenário também aprovou a criação do Comitê de Defesa da Mulher contra Assédio Moral ou Sexual, no âmbito da Câmara dos Deputados.

De acordo com a resolução aprovada, o comitê terá a função de analisar e encaminhar às instâncias competentes denúncias de assédio moral ou sexual feitas por servidoras efetivas, comissionadas, terceirizadas, estagiárias, deputadas e outras mulheres visitantes da Casa. Para o encaminhamento, a denúncia deverá ter fundamento. A matéria foi promulgada em seguida.

Segundo a deputada Laura Carneiro (MDB-RJ), a resolução é uma forma de inibir o assédio sofrido no ambiente de trabalho.

“É uma proposta de institucionalização da política de prevenção e repressão de assédio moral ou sexual, práticas essas inaceitáveis por violarem direitos fundamentais das mulheres, tais como a dignidade da pessoa humana, a isonomia, a proteção à intimidade, a valorização social do trabalho, entre outros”, afirmou.


Agência Brasil

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia -


Outros Artigos
18/01/2019 11:50:00 - SHOWS COM BANDAS ANIMARÃO A FESTA DE SÃO SEBASTIÃO DO POVOADO BOTEQUIM EM SANTA LUZIA DO ITANHI
18/01/2019 11:50:00 - A TRAGÉDIA DO “RISADA DE TIGRE”: UM POETA ESTANCIANO EM TERRA FLUMINENSE
18/01/2019 09:50:00 - Fest Verão Sergipe começa nesta sexta-feira
18/01/2019 09:40:00 - Operação conjunta captura envolvidos em roubo e latrocínio em SE e BA
18/01/2019 09:40:00 - Batida entre ônibus da Coopertalse e caçamba deixa feridos na BR-101
18/01/2019 09:40:00 - EDITORIAL: Sergipe em crise
18/01/2019 09:40:00 - Motorista de carro-bomba invadiu escola de polícia em Bogotá
18/01/2019 09:30:00 - São Cristóvão Inicia Cadastramento De Terreiros, Quilombos E Aldeias Indígenas
18/01/2019 09:30:00 - Brasil “Tudo Fará” Para Ajudar A Venezuela, Diz Itamaraty
18/01/2019 09:30:00 - Governo pretende fechar seis escolas em Sergipe



Marcar este artigo como favorito neste site

                   

 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

ENQUETE

Na sua opinião, quem será o próximo prefeito de Estância em 2020?
Adriana Leite (PRB) 11 % 11%
Dominguinhos (PT) 2 % 2%
Márcio Souza (PSOL) 86 % 86%
Você acredita que a prefeitura de Estância vai restaurar a Casa da Cultura?
Sim 4 % 4%
Não 95 % 95%
Nenhuma das Alternativas 0%

USUÁRIOS ONLINE

37 visitantes online (34 na seção: Notícias)

Usuários: 0
Visitantes: 37

mais...