7º ENCONTRO DE FILARMÔNICAS EM ESTÂNCIA

Manchete : Sergipe quase que triplicou o número de feminicídios
enviou em 11/09/2019 09:20:00 ( 92 leituras )
Manchete

Segundo a 13ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, Sergipe aumentou, consideravelmente, o número de feminicídios. Entenda-se como feminicídio o homicídio cometido contra mulheres e que é motivado por violência doméstica ou discriminação de gênero.

Em 2017, o estado registrou seis casos de feminicídio, enquanto em 2018, foram 16 mulheres assassinadas e com a qualificadora do feminicídio. Isso mesmo, trata-se de uma qualificadora e não de um tipo penal.

Voltando a uma análise dos dados e contrapondo os números desse tipo de crime, houve redução nos homicídios cometidos contra mulheres no Estado. Em 2017, 64 mulheres foram assassinadas, enquanto que, em 2018, esse número foi de 37. Deixando claro que esses casos não foram qualificados pela autoridade policial na condição de feminicídio.

Mas, o que aconteceu para que o número de feminicídios saltasse de forma tão estrondosa? É bem verdade que a lei que torna o feminicídio uma qualificadora do homicídio é de março de 2015 e, de lá para cá, as autoridades policiais passaram a ter um olhar mais contextualizado sobre a temática.

“Hoje, existe uma necessidade de se analisar o contexto do crime. Todo o aparato estatal está percebendo que a violência doméstica é um contexto, não é um fato em isolado. Quanto mais se catalogar os dados com eficiência, mais veremos um aumento no número de casos”, explica a advogada criminalista e coordenadora estadual da Associação Nacional da Advocacia Negra, Valdilene Martins.

A especialista reconhece a necessidade de mudança por parte da sociedade e que deve começar no seio familiar.

“O desprezo pelo feminino e a suposta supremacia masculina são ensinados desde cedo com a mamadeira. Enquanto isso não mudar, continuaremos errando. Quem já não ouviu falar o ditado ‘prenda as suas cabras que os meus bodes estão soltos’? A gente precisa parar de tratar os nossos filhos como animais. Temos dois pesos e duas medidas numa moral falsa e, enquanto a gente educar desse jeito, nós vamos ter sempre aumento de feminicídio”, finaliza a advogada.


Por Diego Rios
fanf1.

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia -


Outros Artigos
22/11/2019 09:30:00 - Petrobras assina arrendamento da Fafen em Sergipe
22/11/2019 09:30:00 - Partido de Bolsonaro terá nas urnas o número 38, igual ao do revólver
22/11/2019 09:20:00 - Em 2 anos, já são 241 registros de injúria e racismo
22/11/2019 09:20:00 - Belivaldo não aceita aliança entre PT e PSB
22/11/2019 09:10:00 - Torcedores que vão ao Peru devem ficar atentos às regras do país
22/11/2019 09:10:00 - Record Divulga Nota E Informa Que Gugu Está Vivo
22/11/2019 09:10:00 - Alimentos oferecidos até os 10 anos de idade são determinantes na formação do paladar
22/11/2019 09:10:00 - Ministérios na Indonésia proíbem contratação de grávidas, homossexuais e deficientes físicos
22/11/2019 09:00:00 - Sergipe termina outubro com a geração de mais de 2.600 empregos
21/11/2019 11:50:00 - PAGAMENTO DO 13º DO BOLSA FAMÍLIA ESTÁ GARANTIDO, DIZ PORTA-VOZ



Marcar este artigo como favorito neste site

                   

 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

ENQUETE

Você acredita numa possível aliança de Márcio Souza com os grupos políticos de Ivan e Carlos Magno?
Não 16 % 16%
Nenhuma 0%
Sim 83 % 83%
Você acredita que o vereador André Graça será o vice de Gilson em 2020?
Sim 66 % 66%
Não 0%
Nenhuma 33 % 33%

USUÁRIOS ONLINE

33 visitantes online (26 na seção: Notícias)

Usuários: 0
Visitantes: 33

mais...