7º ENCONTRO DE FILARMÔNICAS EM ESTÂNCIA

Manchete : Valor Econômico destaca construção de refinaria em Sergipe
enviou em 11/02/2020 13:20:00 ( 45 leituras )
Manchete

A companhia brasileira Noxis Energy obteve, no último mês, a licença ambiental prévia para a implantação de uma refinaria de pequeno em Sergipe. A refinaria ocupará uma área de 500 mil metros quadrados, situada em uma região portuária, com localização estratégica tanto para receber o petróleo quanto para fornecer o combustível

Mais uma vez, Sergipe foi destaque no Jornal Valor Econômico. Nesta terça-feira(11), o jornal traz a informação de que a companhia brasileira Noxis Energy obteve, no último mês, a licença ambiental prévia para a implantação de uma refinaria de pequeno em Sergipe. Segundo a matéria, será a primeira refinaria privada do país depois de mais de 50 anos.


Os investimentos estimados são de US$ 700 milhões, e a unidade terá capacidade prevista para processar 35 mil barris/dia de petróleo. A refinaria ocupará uma área de 500 mil metros quadrados, situada em uma região portuária, com localização estratégica tanto para receber o petróleo quanto para fornecer o combustível. A expectativa é de que o empreendimento movimente 2,8 milhões de toneladas de petróleo e combustível por ano.

Abaixo, segue a matéria na íntegra:

Noxis planeja construir refinaria em Sergipe

A construção da primeira refinaria privada do país depois de mais de 50 anos pode sair do papel ainda neste ano. A recém-criada companhia brasileira Noxis Energy, por investidores e técnicos experientes do mercado de reno, obteve no último mês a licença ambiental prévia para a implantação de uma refinaria de pequeno porte em Sergipe. Com investimentos estimados em US$ 700 milhões, a unidade terá capacidade prevista para processar 35 mil barris/dia de petróleo.

O plano estratégico da Noxis é produzir e fornecer principalmente óleo combustível utilizado por navios, conhecido como bunker, com baixo teor de enxofre. A exigência para o uso do bunker menos poluente pelas embarcações, estipulada pela Organização Marítima Internacional (IMO, na sigla em inglês), entrou em vigor este ano. Além do bunker, a refinaria também produzirá diesel marítimo e nafta.

A Noxis busca agora fundos de investimentos interessados em aportar recursos no projeto em troca de uma participação na sociedade. Além disso, a companhia mantém conversas com três grupos de engenharia brasileiros para fechar o contrato de EPC (sigla em inglês para o modelo que inclui a construção, montagem e compra dos equipamentos) da refinaria.

Em paralelo, segundo o presidente executivo da Noxis, Gabriel Debellian, a empresa está em negociação com a multinacional de origem americana Fluor para o desenvolvimento do projeto e a construção dos módulos. Também são mantidas negociações com a Siemens para o fornecimento dos equipamentos. A ideia, de acordo com o executivo, é que a refinaria seja integralmente informatizada.

O executivo conta que a companhia já possui uma carta de intenções assinada com a Petrochina para adquirir o petróleo necessário para a refinaria, por um período de dez anos. Na outra ponta, a Noxis possui outra carta de intenções com a trading multinacional de origem dinamarquesa Bunker One para fornecer o combustível marítimo, pelo mesmo período. A demanda da Bunker One responderia por cerca de 50% da capacidade de processamento da refinaria. Debellian explica que as cartas assinadas com a Petrochina e a Bunker One são “bankable”, ou seja, podem ser consideradas para a contratação de uma linha de financiamento para a construção da refinaria.

Na etapa atual do empreendimento, a companhia deve investir entre US$ 4 milhões e US$ 5 milhões no detalhamento do projeto, enquanto busca a licença ambiental de instalação. Segundo Debellian, a licença pode ser emitida em cerca de oito meses. Até o momento, já foram investidos aproximadamente US$ 3,5 milhões no projeto.

A refinaria ocupará uma área de 500 mil metros quadrados (sendo 350 mil metros quadrados de área útil) contratada junto à Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), em Barra dos Coqueiros, na região metropolitana de Aracaju (SE). Situada em uma região portuária, a refinaria tem localização estratégica tanto para receber o petróleo quanto para fornecer o combustível. Dessa forma, explica o executivo, a companhia não fica dependente da utilização de infraestrutura logística de outras empresas.

A expectativa é que o empreendimento movimente 2,8 milhões de toneladas de petróleo e combustível por ano. Em mais longo prazo, a companhia tem planos de adquirir e refinar petróleo de pequenos produtores terrestres do país, que, por falta de opção, hoje são obrigados a vender a produção para a Petrobras, que aplica um desconto sobre o preço do produto. Nessa linha, a Noxis tem em carteira projetos para construir outras duas refinarias, no Espírito Santo e no Maranhão.

*Por Rodrigo Polito
ASN

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia -


Outros Artigos
14/02/2020 08:20:00 - Bloquinho do Biu
14/02/2020 08:20:00 - Professor do Júlio César Leite morre em acidente automobilístico
14/02/2020 08:10:00 - Coronavírus: nova metodologia faz China registrar recorde de óbitos
14/02/2020 08:10:00 - Diagnóstico de dengue em criança é mais difícil
14/02/2020 08:10:00 - Miliciano Adriano planejava formar milícias em Sergipe
14/02/2020 08:10:00 - Alto Comando da Polícia Militar prossegue com o planejamento operacional para o Carnaval 2020
14/02/2020 08:00:00 - Lula encontra o Papa e é abençoado por ele
14/02/2020 08:00:00 - Abertas as inscrições para os Concursos Carnavalescos 2020, em Estância
14/02/2020 07:50:00 - ZEZEINHO GUIMARÃES DIZ QUE ITABAIANINHA RECEBERÁ MAIS DE R$ 3 MILHÕES EM EMENDAS
14/02/2020 07:50:00 - Intenso calor pode afetar safra de laranja em Sergipe



Marcar este artigo como favorito neste site

                   

 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

ENQUETE

Você acredita numa possível aliança de Márcio Souza com os grupos políticos de Ivan e Carlos Magno?
Não 16 % 16%
Nenhuma 0%
Sim 83 % 83%
Você acredita que o vereador André Graça será o vice de Gilson em 2020?
Sim 66 % 66%
Não 0%
Nenhuma 33 % 33%