7º ENCONTRO DE FILARMÔNICAS EM ESTÂNCIA

Política : ANA LÚCIA É CONTRÁRIA A CRIAÇÃO DE 200 FUNÇÕES DE CONFIANÇA NO JUDICIÁRIO
enviou em 20/03/2014 11:20:00 ( 489 leituras )
Política

Na manhã desta quarta-feira, 19, foi votado e aprovado na comissão de Administração e Serviço Público e também no plenário o projeto de lei que visa a criação de 200 funções de confiança que serão preenchidas mediante indicação de juízes, no entanto, o projeto apresenta algumas falhas, não explica quais cargos serão extintos para o surgimento dessas funções, e não dispõe quais serão as atribuições a serem desempenhadas por essas funções.

A deputada estadual Ana Lúcia(PT) votou contrária ao PL de nº07/2014, na comissão de Administração e Serviço Público e no plenário, os demais parlamentares votaram a favor.

O projeto retira a autonomia do legislativo, visto que com a sua aprovação o Judiciário terá a competência de legislar sobre as atribuições dessas funções.

Em relação ao mérito do projeto a deputada apontou um grave erro, visto que esse PL deixa de regulamentar as atribuições que serão exercidas pelos servidores que ocuparão os cargos de função de confiança, e passa a dar competência da regulamentação ao presidente do Tribunal de Justiça, através do regulamento.

Entre os problemas presentes no projeto, é que ao passar o poder para o TJ o Poder Legislativo abre mão de suas prerrogativas, e concede o poder de dispor sobre aquilo que, segundo a Constituição, somente pode ser disposto por meio de lei.

Os cargos públicos têm os seus requisitos de acessibilidade estabelecidos em lei, logo as atribuições dos cargos públicos e funções não deveriam ser normatizadas por meio de ato regulamentar de autoridade administrativa.

O único critério presente no PL para assumir o cargo é ser portador de diploma de nível superior em direito, a indicação será feita pelo Juiz da comarca e o cargo será designado à pessoa indicada pelo juiz por ato do presidente do TJ.

Impactos financeiros
O projeto de lei gera graves impactos financeiros aos cofres públicos do estado, uma vez que a criação dessas funções esterá condicionada a extinção de cargos, ainda não revelados, mas inevitavelmente todas essas novas funções aumentarão ainda mais as despesas com a incorporação, que ainda é uma realidade neste estado.

“Não sei quando nós vamos conseguir romper com esse limite prudencial, porque vejam, são 200 funções de confiança, aqueles que vão receber a função de confiança, daqui há 5 anos quem já tiver para se aposentar incorpora, cada vez mais vai distanciando o poder executivo dos demais poderes. E aí cada vez mais vai distanciando o poder executivo dos demais poderes, e é o poder executivo que trabalha com a população nos direitos fundamentais da pessoa humana como alimentação, educação, saúde, segurança e lazer. Por isso não dá para cobrar com muito discurso se nós não formos na essência da questão, a essência é que os poderes são harmônicos, eles precisam dialogar, agora não dá para estabelecer uma diferença dessa”, argumentou Ana.

O SINDIJUS(Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Sergipe), procurou o mandato manifestando a preocupação dos dirigentes com o comprometimento das finanças do Tribunal de Justiça, visto que o Tribunal tem argumentado falta de recursos para valorizar, conforme pretendido pelo sindicato, todos os integrantes da categoria.

Segundo o presidente do sindicato, Plínio Pugliesi, esse projeto vai na contramão de tudo o que é defendido pela categoria e o sindicato, a criação de cargos de confiança de forma indiscriminada, além disso, Plínio aponta outra preocupação com o projeto aprovado na Assembleia Legislativa de Sergipe, é a extinção de cargos do TJ mas que não constam quais são no projeto.

“As funções serão criadas com a extinção gradativa de cargos de quadro pessoal do poder judiciário, mas no projeto de lei que chegou à Alese não consta tabela anexada com os cargos”, ressaltou.

O presidente do sindicato expressou o seu desapontamento com os parlamentares que aprovaram o PL, pois para ele se confirmou a negligência com relação a administração pública e as folhas de pagamento.

“É lamentável ver mais uma vez a Alese através da ampla maioria dos seus membros delegarem ao poder judiciário sua função, que é a principal e que é a que justifica inclusive a existência dessa casa que é a de legislar, com exceção apenas da deputada Ana Lúcia que votou contrária ao projeto do tribunal da forma como está, todos os demais deputados votaram a favor da criação das 200 funções de confiança, baseados em um texto vazio, que não fala quais são as atribuições que esses cargos vão exercer, não falam para que é que eles estão sendo criados, ou seja, qual é a finalidade, e nem fala quais são os cargos a serem extintos para essas funções serem criadas. Com isso visualizamos a negligência dos deputados que votaram a favor com relação ao grave caso das incorporações que só sobrecarregam as folhas de pagamento desse estado”, relatou Plínio.




Enviado pela assessoria, por Laila Oliveira

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia -


Outros Artigos
20/02/2019 11:00:00 - Aeroportos no prego
20/02/2019 11:00:00 - Ford fechará fábrica de São Bernardo; 3,2 mil trabalhadores serão demitidos
20/02/2019 10:50:00 - Homem é morto a tiros na frente do filho de três anos de idade
20/02/2019 10:40:00 - OPERAÇÃO POLICIAL EM MARUIM DEIXA UM MORTO EM TROCA TIROS
20/02/2019 10:40:00 - Com Reforma Da Previdência, Brasil Deslanchará, Diz Bolsonaro
20/02/2019 10:40:00 - MEMORIAL DE ESTÂNCIA RECEBE EXPOSIÇÃO SOBRE A UMBANDA
20/02/2019 10:30:00 - Mais 2 Deputados Estaduais Dizem Que Podem Disputar Prefeituras Do Interior
20/02/2019 08:50:00 - VICE-PRESIDENTE MOURÃO DEMONSTRA SER CONTRA HIBERNAÇÃO DA FAFEN EM SERGIPE
20/02/2019 08:50:00 - FALTA CARNE NAS FEIRAS E MERCADOS DO INTERIOR
19/02/2019 09:50:00 - Luciano Pimentel adere a Frente Parlamentar de Defesa da Mulher



Marcar este artigo como favorito neste site

                   

 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

ENQUETE

Dos últimos prefeitos e o atual, em dois anos de mandato, quem fez mais por Estância?
Carlos Magno
Gilson Andrade
Ivan Leite
Na sua opinião, quantos candidatos a prefeito Estância deve lançar em 2020?
Três 25 % 25%
Quatro 0%
Cinco 75 % 75%

USUÁRIOS ONLINE

37 visitantes online (32 na seção: Notícias)

Usuários: 0
Visitantes: 37

mais...