Carnaval de Olinda celebra 111 anos do frevo e homenageia maestros

Data 09/02/2018 09:50:00 | Tóopico: Nacionais

Data é celebrada no Polo Tito Lívio, na Praça do Carmo, a partir das 18h desta sexta-feira (9).

Maior símbolo do carnaval de Pernambuco, o frevo completa 111 anos de criação nesta sexta-feira (9). Em Olinda, a data de aniversário do ritmo genuinamente pernambucano é celebrada no Polo Tito Lívio, na Praça do Carmo, a partir das 18h. Uma série de homenagens aos maestros e orquestras que fizeram história no estado.

A programação começa com shows da orquestra Vila Lobos, seguida pela Orquestra de Frevo Henrique Dias e, por fim, do maestro Ozéias. Os professores de frevo Wagner, Carlinhos, Walquíria, Beto, Vera, Mateus Ramos, Adriana do Frevo, Daniel e Alexandre Spain também serão homenageados na noite.

Aniversário do frevo
A data escolhida com o aniversário do frevo coincide com o primeiro registro da palavra que nomeia o ritmo, no Jornal Pequeno, em 9 de fevereiro de 1907, como versão popular da palavra "ferver". Em 2007, ao completar 100 anos, ele foi alçado a Patrimônio Imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Abertura oficial
Olinda declarou oficialmente aberto o carnaval 2018 com uma queima de fogos de artifício por volta das 22h da quinta-feira (8). Pela primeira vez, a festa foi realizada na Praça do Carmo e a chuva não desanimou os foliões, que frevaram ao som de artistas como Rogério Rangel, Didi e Alceu Valença, a atração principal da noite.

Abrindo a programação, as agremiações Cariri Olindense, Maracatu Piaba de Ouro, Elefante, Grêmio Recreativo Escola Preto Velho e Afoxé Alafin Oyó encantaram o público de todas as idades. Durante o desfile, a empolgação de William, de dois anos, que carregava um miniestandarte com uma foto antiga do irmão chamava a atenção.

Após chuva passageira, que fez o público correr da praça para se abrigar, o cantor Rogério Rangel subiu ao palco vestido como Homem da Meia-Noite, homenageando um dos símbolos do carnaval de Olinda, que tem a "Terra de Gigantes" como tema deste ano.

Na apresentação de Didi, as homenagens continuaram, desta vez para Tito Lívio, cantor e compositor que morreu em novembro de 2017 e dá nome ao palco montado no local.


Por G1 PE



Este artigo veio de Tribuna Cultural
http://www.atribunacultural.com.br

O endereço desta história é:
http://www.atribunacultural.com.br/modules/xnews/article.php?storyid=15933