PENITENCIÁRIAS DE SERGIPE NÃO REGISTRAM FUGAS HÁ UM ANO

Data 27/02/2018 10:00:00 | Tóopico: Manchete

Nos últimos cinco, o número de fugitivos do sistema penitenciário oscilou bastante, mas em nenhum momento chegou a zero como agora. Em 2013, por exemplo, 94 pessoas fugiram; em 2014, esse número subiu para 100; em 2015, caiu para 34 fugitivos; em 2016, subiu para 206; em 2017, caiu para 16; e de 26 de fevereiro de 2017 a 26 de fevereiro de 2018, não houve nenhuma fuga.
Pela primeira vez em toda sua história, a Secretaria de Justiça e de Defesa do Consumidor (Sejuc) registra um ano sem nenhuma fuga no sistema penitenciário. Desde que assumiu a pasta, há pouco mais de um ano, o delegado da Polícia Civil de Sergipe, Cristiano Barreto, implementou um ritmo de trabalho para coibir os eventos de fuga e, desde então, vem contando com o apoio dos agentes e guardas prisionais no dia a dia de fiscalização dos nove presídios do Estado.

“A não existência de fugas em um ano é um marco para nós que fazemos a Secretaria de Justiça e vamos continuar trabalhando incessantemente para que continuemos assim. Alcançamos esse número zero de fugas graças, principalmente, ao comprometimento e responsabilidade dos agentes e guardas prisionais, que entenderam o nosso ritmo de trabalho e somaram para dar o melhor à sociedade, que é a segurança”, ressaltou Cristiano Barreto.

Ele destaca, ainda, o apoio que vem tendo da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e da Polícia Militar (PM). Essa última, por exemplo, faz rondas constantes na área externa do Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan), em São Cristóvão, anteriormente considerado como um dos mais problemáticos do estado.

Nos últimos cinco, o número de fugitivos do sistema penitenciário oscilou bastante, mas em nenhum momento chegou a zero como agora. Em 2013, por exemplo, 94 pessoas fugiram; em 2014, esse número subiu para 100; em 2015, caiu para 34 fugitivos; em 2016, subiu para 206; em 2017, caiu para 16; e de 26 de fevereiro de 2017 a 26 de fevereiro de 2018, não houve nenhuma fuga.

Tentativas frustradas

Por várias vezes, a ação rápida dos agentes e guardas prisionais impediu que houvesse fuga nos presídios sergipanos. No dia 24 de agosto do ano passado, os internos do Copemcan serraram as grades da Ala B do pavilhão três, tentaram fugir, mas foram impedidos pelos servidores.

Pouco antes, no dia 1º de agosto, foi frustrada a fuga de 11 internos no Presídio Regional Juiz Manoel Barbosa de Souza (Premabas), em Tobias Barreto, após uma revista minuciosa. Em maio de 2017, foi encontrado no Presídio Senador Leite Neto (Preslen), em Nossa Senhora da Glória, um túnel de aproximadamente dois metros de profundidade, por onde haveria uma fuga em massa.

No dia 8 de março de 2017, uma ação rápida do Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope) e do Comando de Operações Especiais da Polícia Militar (COE) evitou que oito internos do Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan) fugissem da unidade.




Este artigo veio de Tribuna Cultural
http://www.atribunacultural.com.br

O endereço desta história é:
http://www.atribunacultural.com.br/modules/xnews/article.php?storyid=16027