Seca atinge mais de 70 mil pessoas em Sergipe

Data 07/03/2018 15:00:00 | Tóopico: Sociedade

Apenas cerca de 26 mil recebem assistência de ação do Governo Federal.

O verão chegou e já está castigando o povo sertanejo sergipano. Sete municípios decretaram estado de emergência mediante estiagem e seca, onde mais de 70 mil pessoas estão sendo atingidas. Do número total da população afetada, somente 25.942 estão recebendo assistência com a Operação Carro-Pipa, ação vinda do Governo Federal.Carira, Canindé de São Francisco, Monte Alegre de Sergipe, Porto da Folha e Frei Paulo são os municípios que decretaram problemas por conta da estiagem, período em que as chuvas ficam escassas.

Já Poço Redondo e Gararu enfrentam seca. Segundo o diretor da Defesa Civil do Estado de Sergipe, Alexandre Alves, o número de pessoas assistidas se dá pelo fato de serem esses os que não possuem infraestrutura hídrica em suas residências.

“Essas mais de 25 mil pessoas não têm água encanada em suas casas, por isso que necessitam do apoio da Operação Carro, por não terem o cano que leva a água tratada da Deso até as suas casas”, explica o diretor.

O número de municípios em situação de emergência diminuiu consideravelmente em comparação com o mesmo período em 2017. “Esse período considerado o auge do verão em 2017, nós tivemos 25 municípios em situação de emergência. Eram os municípios do alto sertão, centro-sul, médio sertão e agreste sergipano. O número caiu bastante em 2018, inclusive está sendo o ano com menos decretações, tudo isso em função das chuvas do inverno passado que tivemos um volume de chuvas acentuado”, destaca Alexandre.

Segundo o diretor, apesar de estarem em situação de vulnerabilidade social representada, não significa dizer que as pessoas afetadas estão em situação de fome. “Normalmente essas pessoas moram em lugares espessos, dentro de povoados, e são pessoas carentes. Mas, é uma situação a ser analisada. No Brasil, todas as pessoas que têm a vulnerabilidade declarada recebem as ajudas sociais dos governos”, reitera.

Além da ação do Governo Federal com a operação Carro-Pipa, Alexandre informou que os municípios também buscam formas de contribuir com a situação. “O município dá sua parcela colocando carros adicionais para atender à população. O papel do Estado é homologar e encaminhar o processo ao Governo Federal para solicitar os recursos, mas, também está estudando a possibilidade de entrar no mês de março com carro-pipa em alguns desses municípios”, disse o diretor.


Por: Lais de Melo/Jornal da Cidade




Este artigo veio de Tribuna Cultural
http://www.atribunacultural.com.br

O endereço desta história é:
http://www.atribunacultural.com.br/modules/xnews/article.php?storyid=16119