Brasil

STJ SUSPENDE DECISÃO QUE DETERMINAVA LOCKDOWN NO DISTRITO FEDERAL

Presidente da corte, ministro Humberto Martins, entendeu que não cabe à Justiça decisões sobre pandemia

Publicada em 09/04/21 às 11:55h - 192 visualizações

por SBT News


Compartilhe
Compartilhar a notícia STJ SUSPENDE DECISÃO QUE DETERMINAVA LOCKDOWN NO DISTRITO FEDERAL  Compartilhar a notícia STJ SUSPENDE DECISÃO QUE DETERMINAVA LOCKDOWN NO DISTRITO FEDERAL  Compartilhar a notícia STJ SUSPENDE DECISÃO QUE DETERMINAVA LOCKDOWN NO DISTRITO FEDERAL

Link da Notícia:

STJ SUSPENDE DECISÃO QUE DETERMINAVA LOCKDOWN NO DISTRITO FEDERAL
 (Foto: Reprodução)
O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, suspendeu nesta  6ª feira (9.abr) os efeitos de decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) que determinava a interrupção de uma série de atividades econômicas no Distrito Federal em razão da pandemia da Covid-19.

O ministro Humberto Martins entendeu que não cabe à Justiça decisões sobre combate à pandemia.

"O Distrito Federal tomou decisão político-administrativa conciliatória dos relevantes interesses em conflito, com suporte em estudos técnico-científicos, sem descurar dos cuidados com a saúde pública e a importante preocupação com proteção da população contra a doença, mas também sem deixar de ter responsabilidade com relação ao regular funcionamento da economia na medida do possível, que, ao final, também diz respeito ao bem-estar dos cidadãos, o que ratifica a legitimidade de sua postura administrativa", afirmou Humberto Martins.

Ainda de acordo com Humberto Martins, ao interferir na legítima discricionariedade do poder público, o Judiciário acaba por substituir o legítimo processo de construção da política púbica desenhada por aqueles que foram eleitos pela população justamente para essa finalidade.
"Nessa senda, está caracterizada a grave lesão à ordem pública, na sua acepção administrativa, em decorrência dos entraves à execução normal e eficiente da política pública desenhada e estrategicamente escolhida pelo gestor público", concluiu o ministro ao suspender a decisão do Tribunal Regional Federal da Primeira Região.



ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (79) 9.8156-8504

Visitas: 2160188
Usuários Online: 78
Copyright (c) 2022 - Atribuna Cultural - Fundado em 30/03/2001