Brasil

Justiça Federal decide hoje se mantém prisão de Milton Ribeiro

Ex-ministro da Educação foi preso sob suspeita de liderar um esquema de tráfico de influência na pasta que comandava

Publicada em 23/06/22 às 11:52h - 8 visualizações

por Renato Souza, do R7


Compartilhe
Compartilhar a notícia Justiça Federal decide hoje se mantém prisão de Milton Ribeiro  Compartilhar a notícia Justiça Federal decide hoje se mantém prisão de Milton Ribeiro  Compartilhar a notícia Justiça Federal decide hoje se mantém prisão de Milton Ribeiro

Link da Notícia:

Justiça Federal decide hoje se mantém prisão de Milton Ribeiro
Milton Ribeiro integrou o governo até março, quando surgiram as denúncias de corrupção  (Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL)

Na tarde desta quinta-feira (22), o juiz Renato Morelli, da 15ª Vara Federal do Distrito Federal, decide se mantém ou não a prisão do ex-ministro da educação Milton Ribeiro. Ele foi detido ontem pela manhã em Santos (SP) por ser suspeito de liderar um esquema de tráfico de influência no Ministério da Educação.

A detenção de Milton ocorreu no âmbito de uma operação que investiga a atuação de pastores e prefeitos de por recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Além de Milton, foram presos os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, que também passam nesta quinta-feira por audiência de custódia. Gilmar Santos será ouvido presencialmente, em Brasília, e Arilton Moura participa de audiência por meio de videoconferência.

De acordo com as investigações, o esquema consistia na indicação, pelos religiosos, de prefeituras que deveriam receber verbas do ministério. Em troca, a suspeita é de que os religiosos cobrassem propina para influenciar as decisões tomadas em Brasília. A Polícia Federal reúne documentos, registros de entrada e saída da sede da pasta e depoimentos de testemunhas.

A defesa do ex-ministro tenta obter decisão para que ele responda ao processo em liberdade. Em março deste ano, dias antes de deixar o cargo, Ribeiro defendeu-se dizendo que, após tomar conhecimento, em agosto de 2021, de "uma pessoa" que estaria cometendo irregularidades, ele denunciou o fato à Controladoria-Geral da União (CGU).




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (79) 9.8156-8504

Visitas: 2160023
Usuários Online: 77
Copyright (c) 2022 - Atribuna Cultural - Fundado em 30/03/2001