Mundo

AMIGO DE BIN LADEN, TERRORISTA MORTO PELOS EUA ARQUITETOU ATAQUES DE 11/9

Publicada em 02/08/22 às 15:22h - 32 visualizações

por Atribuna Cultural/Fundada em 30 de março de 2001.


Compartilhe
Compartilhar a notícia AMIGO DE BIN LADEN, TERRORISTA MORTO PELOS EUA ARQUITETOU ATAQUES DE 11/9  Compartilhar a notícia AMIGO DE BIN LADEN, TERRORISTA MORTO PELOS EUA ARQUITETOU ATAQUES DE 11/9  Compartilhar a notícia AMIGO DE BIN LADEN, TERRORISTA MORTO PELOS EUA ARQUITETOU ATAQUES DE 11/9

Link da Notícia:

AMIGO DE BIN LADEN, TERRORISTA MORTO PELOS EUA ARQUITETOU ATAQUES DE 11/9
 (Foto: Divulgação)

Nascido numa família abastada do Egito, o médico Ayman al-Zawahiri foi morto durante operação dos Estados Unidos no Afeganistão no fim da última semana. A informação foi confirmada hoje pelo presidente Joe Biden. Mentor dos ataques terroristas de 11 de setembro, al-Zawahiri comandava o grupo terrorista Al-Qaeda desde que Osama bin Laden foi executado em 2011.

“A justiça foi feita e não há mais que temer esse líder terrorista”, disse Biden, em comunicado na Casa Branca. “Àqueles ao redor do mundo que continuam procurando prejudicar os EUA, ouçam-me agora, sempre permaneceremos vigilantes, e agiremos, e sempre faremos o que for necessário para garantir a segurança dos norte-americanos e dentro e fora dos nossos territórios”.

Neto de um sacerdote da Universidade al-Azhar, no Cairo, Zawahiri ingressou na organização radical Irmandade Muçulmana aos 15 anos e fundou o grupo terrorista Jihad Islâmica em 1979. Antes de unir-se à Al Qaeda nos anos 1990, ele foi preso por planejar um atentado ao então presidente egípcio, Anuar Sadat.

A morte de Al-Zawahri representa um golpe significativo na capacidade do grupo terrorista de operar, num momento em que a organização perde espaço para o Estado Islâmico, que chegou a controlar partes da Síria e do Iraque. Os EUA acreditam que ele continuava a fornecer direção estratégica à vasta rede terrorista e estava organizando futuros ataques contra o país.

O porta-voz do Taleban, Zabihullah Mujahid, confirmou um ataque aéreo realizado por um drone em Cabul, capital do país. Ele disse que o Emirado Islâmico do Afeganistão vê isso como uma clara violação de acordos internacionais que que estabeleceram em 2020 a retirada de tropas americanas do país. As autoridades norte-americanas afirmam não houve mortes de civis.

“O Emirado Islâmico do Afeganistão condena veementemente este ataque a qualquer pretexto e considera-o uma clara violação dos princípios internacionais e do Acordo de Doha. Tais ações são uma repetição das experiências fracassadas dos últimos 20 anos e vão contra os interesses dos Estados Unidos da América, do Afeganistão e da região. Repetir tais ações prejudicará as oportunidades disponíveis”, afirmou o porta-voz do país.

Aliado próximo de Bin Laden

“Àqueles 19 irmãos que saíram e entregaram suas almas a Alá Todo-Poderoso, Deus Todo-Poderoso lhes concedeu esta vitória que estamos desfrutando agora”, disse al-Zawahiri em mensagem divulgada em abril de 2002, sete meses após os ataques às torres do World Trade Center em 2001.

Essa foi a primeira de muitas mensagens que o terrorista enviaria ao longo dos anos, instando os militantes que continuassem a luta contra os Estados Unidos. O governo do país chegou a oferecer recompensa de US$ 25 milhões por informações que levassem à captura do terrorista.

Ele fez a estreia pública como militante muçulmano quando estava na prisão por seu envolvimento no assassinato do presidente egípcio Anwar Sadat em 1981, depois que o líder egípcio fez as pazes com Israel. Ele passou três anos na prisão após o assassinato de Sadat e alegou que foi torturado durante a detenção. Após sua libertação, al-Zawahiri foi para o Paquistão, onde cuidou de combatentes feridos que lutaram contra a ocupação soviética do Afeganistão.

Foi quando conheceu Bin Laden e encontrou uma causa comum. “Estamos trabalhando com o irmão Bin Laden”, disse ele ao anunciar a fusão de seu grupo terrorista, a Jihad Islâmica Egípcia, com a Al Qaeda em maio de 1998. Juntos, os dois líderes terroristas assinaram um manifesto: “O julgamento de matar e lutar contra norte-americanos e seus aliados, sejam civis ou militares, é uma obrigação para todo muçulmano”.

Mentor do 11 de setembro

Os ataques contra os Estados Unidos começaram semanas depois da fusão dos grupos de bin Laden e al-Zawahiri, com os atentados suicidas das embaixadas norte-americanas no Quênia e na Tanzânia, que mataram mais de 200 pessoas e feriram mais de 5.000. Em seguida, houve o ataque ao USS Cole no Iêmen em outubro de 2000, quando homens-bomba em um bote detonaram seu barco, matando 17 marinheiros americanos e ferindo outros 39.

O ponto culminante da conspiração terrorista de al-Zawahiri ocorreu em 11 de setembro de 2001, quando cerca de 3.000 pessoas foram mortas nos ataques às torres gêmeas do World Trade Center e do Pentágono. Um quarto avião sequestrado, com destino a Washington, caiu em um campo da Pensilvânia depois que os passageiros reagiram.

Desde então, al-Zawahiri elevou seu perfil público, aparecendo em vários vídeos e fitas de áudio para instar os muçulmanos a se juntarem à jihad contra os Estados Unidos e seus aliados. Em maio de 2003, ataques suicidas quase simultâneos em Riad, na Arábia Saudita, mataram 23 pessoas, dias depois que uma fita que supostamente continha a voz de Zawahiri foi lançada.

O Departamento de Estado dos EUA ofereceu uma recompensa de até US$ 25 milhões por informações que levassem diretamente à sua captura. Um relatório das Nações Unidas de junho de 2021 sugeriu que ele estava localizado em algum lugar na região fronteiriça do Afeganistão e do Paquistão, e que ele pode ter sido muito frágil para ser apresentado na propaganda.

Fonte: Uol




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (79) 9.8156-8504

Visitas: 2289944
Usuários Online: 39
Copyright (c) 2022 - Atribuna Cultural - Fundado em 30/03/2001
Converse conosco pelo Whatsapp!